“O governador Tarcísio de Freitas citou 1,1 mil postos do PCC em São Paulo. Se for real, é a quinta força de distribuição de combustível do Brasil”,

de Emerson Kapaz, do Instituto Combustível Legal.

Ano XX - 19 de junho de 2024

 

R$ 5,7 trilhões para os estados
A Câmara dos Deputados aprovou, há dias, o projeto de lei complementar que regulamenta a securitização da dívida da União, estados, Distrito Federal e municípios. A securitização envolve a venda com deságio dos direitos de receber dívidas, sejam tributárias ou não. O governo não sabe bem quem são os devedores. De qualquer forma, desse montante, R$ 46 bilhões já estão previstos para reforçar o caixa da União. Os números chegam a ser extravagantes. Existem previsões que alcançam os R$ 5,7 trilhões para serem repartidos entre os entes da Federação. Um percentual de 50% do valor aferido será destinado à Previdência (para a União não é parte do problema, é solução). Achar que a Fazenda não tem mais cartas parar trazer o déficit primário para próximo da meta é subestimar a musculatura do governo quando se trata de arrecadar mais. Ou mesmo o instinto de sobrevivência do governo o levará a fazer contingenciamento de crédito (no início da gestão Lula 3 era considerado um estigma).

Sobram suspeitas
Um simples conta derruba o argumento de Lula para sua decisão suspeitíssima, agora anulada, de importar arroz: ele alegou “combate à pressão do mercado”. Com a importação, o custo do pacote de 5kg de arroz sairia  por R$ 36,85, valor superior à média das prateleiras das grandes redes (R$ 33). Há quem diga que falta lógica e sobram suspeitas de corrupção na decisão de importar. A saca de 50 kg de arroz valia R$ 116 em novembro passado e caiu para R$ 105 em abril deste ano. Em maio, com a tragédia do Rio Grande do Sul subiu para R$ 116, mas em junho, caiu para R$ 113 com a entrada do arroz sequeiro.

Retrato trincado
Dizem os analistas que enquanto seu time bate cabeça, com Rui Costa, ministros e dirigentes petistas contra Fernando Haddad e o corte de gastos, Lula faz uma reunião atrás da outra, não fala nada de novo, dá broncas ridículas e promete assumir a coordenação política (já fez umas cinco promessas, não assumiu e as viagens encantam mais). Lula está refém de Arthur Lira, Davi Alcolumbre, “bancada da Bíblia”, União Brasil e por conta dessa conversa para boi dormir, a percepção do governo não melhora e tampouco a popularidade de Lula. Ele diz que “tudo faz parte do processo democrático”.

Cívico-militar
A Procuradoria  Federal dos Direitos do Cidadão, órgão o Ministério Público Federal, alertou que a lei que cria Programa Escola Cívico-Militar em São Paulo (criado pelo governador Tarcísio de Freitas, sob inspiração de Jair Bolsonaro), é constitucional e não encontra amparo da Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Muitas entidades educacionais já se preparam para recorrer ao Judiciário. O governo federal havia anunciado o fim do projeto. Dos R$ 98 milhões destinados às escolas cívico-militares desde o lançamento em 2019, apenas R$ 235 mil foram utilizados por Estados e municípios (0, 24% do orçamento).

Na gaveta
O Plano Nacional de Interiorização da Defensoria, lançado pelo governo Lula, pode ser interiorizado para dentro da gaveta. Não há recursos para a abertura de representações em 600 municípios brasileiros até o fim deste ano – uma meta de 40% do território nacional não conta com a presença da DPU. A ministra da Gestão e Inovação, Esther Dweck não consegue ver nada pela frente.

Acordo na aviação
Os mais irônicos costumam dizer que tudo vai bem no Mercosul, pelo menos a 11 mil metros de altitude. O Brasil negocia com o Uruguai um acordo de “política de céus abertos”. A parceria prevê a derrubada do limite para voos regulares semanais entre os dois países, no transporte tanto de passageiros quanto  de cargas. As tratativas são conduzidas pelo Itamaraty. Em março deste ano, o governo brasileiro firmou um acordo similar com a Argentina. Do lado de cá da fronteira, a medida favoreceria Gol, Latam e Azul, que voam para o país vizinho pelo Uruguai, a maior beneficiada seria a SUA (Sociedad Uruguay de Aviación), companhia aérea que está sendo montada pelo empresário local Antonio Rama.

Até agora nada
Lula eleito, deu várias entrevistas ao lado do ministro Alexandre Silveira, garantindo que o Brasil se tornaria membro a Opep +, uma agremiação em que os países atuam como integrantes associados à Opep. Em pela COP28, Lula chegou a dizer que o Brasil “tinha de convencer os países que produzem petróleo que eles precisam se preparar para o fim dos combustíveis fosseis”. No ano passado, Silveira cravou janeiro como data para ingresso do país na organização. Sete meses depois, nada.

Coleção
Decisões individuais do ministro Dias Toffoli (STF) favoreceram 115 pessoas que pediram anulação de provas ou atos da Lava Jato no último ano. Ao  todo Toffoli proferiu 128 decisões individuais que reverteram a situação de réus da Lava Jato na Justiça. Também houve 61 decisões de Toffoli determinando “nulidade absoluta” de inquéritos da Lava Jato contra os investigados. O presidente do STF Luís Roberto Barroso, há dias, na TV Cultura, questionado sobre as decisões de Toffoli disse que é possível “discordar delas”, mas não há nada de “irregular nelas”.

Mais um hotel
No prédio desocupado há anos, na esquina da Avenida Paulista com a Rua Haddock Lobo, onde funcionou o Banco Panamericano depois vendido, deverá nascer um hotel voltado especialmente para o turismo de negócios. É o resultado de uma demorada negociação entre Silvio Santos e um conhecido grupo hoteleiro. Mais: o mesmo Silvio Santos acertou com a prefeitura a desapropriação do terreno que possui ao lado do Teatro Oficina, no Bexiga. Lá, será construído grande parque para a população – e o teatro permanecerá no mesmo local.

Contra Haddad
O fracasso de Fernando Haddad (Fazenda), no caso da Medida Provisória passava a mão em créditos do PIS/COFINS do setor produtivo, levantou suspeitas dentro do próprio gabinete de Haddad de que ele teria sido alvo de “fogo amigo” de Rui Costa com quem poucos conseguem se entender, e de Gleisi Hoffmann, presidente do PT. Costa ambiciona suceder Lula e vê Haddad como rival e a deputada não simpatiza mesmo com ele. Gleisi ainda diz que o titular da Fazenda faz uma política econômica que “não tem nada a ver com os ideais do PT”.

Não é bem assim
Ainda Rui Costa e sua fixação em suceder Lula: o presidente gosta dele, lhe dá missões importantes que ele, geralmente, não cumpre totalmente e não vê o titular da Casa Civil como seu sucessor. No caso, prefere Fernando Haddad. Mais: Costa já teve seu futuro desenhado pela direção do partido em Salvador (foi governador da Bahia por duas vezes). A base de lá faz planos para que Costa dispute, mais uma vez, o governo do Estado ou, se preferir, sair candidato ao Senado.

Piadas sobre Deus
Depois de disparar sobre gays, dizendo que eles podem ser abençoados mas “um casal  de gays nunca será abençoado pela Igreja” e fazer mais comentários sobre homossexuais, o Papa Francisco resolveu dizer que “não é blasfêmia fazer piada sobre Deus”. E emendou : “Podemos rir como brincamos e fazemos piadas com as pessoas que amamos”. A declaração de Francisco aconteceu numa audiência especial no Vaticano com 100  comediantes de todo o mundo. Do Brasil, estavam lá Fábio Porchat e Cacau Protásio. E falou também sobre Sara, mulher de Abrão no Antigo Testamento: “Ela era intrometida como as mulheres, pois espionava o marido para talvez repreendê-lo mais tarde”.

Tia Lenita
A maior parte dos grupos de comunicação não dedicaram quaisquer espaços sobre a morte da jornalista e escritora Lenita Miranda Figueiredo, a Tia Lenita, aos 96 anos. Ela também foi educadora, musicista, pintora, incentivadora cultural e professora de história. No Grupo Folha, criou o suplemento Tia Lenita para crianças e foi colunista social durante 20 anos da Folha da Tarde. Um de seus livros mais conhecidos é Deus aposentado; outro é História da Arte para Crianças.

Olho no cinema
O presidente Lula tem encontro marcado hoje no Rio de Janeiro com o pessoal do cinema. Na conversa, nova versão da cota de tela, que obriga os cinemas a exibirem filmes nacionais durante determinado número de dias. O BNDES também vai lançar uma linha de financiamento para o setor. O encontro será na Barra da Tijuca, onde fica o Polo Rio Cine Video, que terá sua ampliação inaugurada.

Arco-íris
A Petrobras está iluminando mais de 25 prédios e instalações industriais da companhia no Brasil, como plataformas e refinarias com as cores do arco-íris durante este mês para celebrar o mês do Orgulho LGBTQIA+. Segundo a empresa (a nova presidente Magda Chambriard é entusiasta da ideia), a iluminação e outras celebrações “mostram o compromisso na defesa dos Direitos Humanos, da diversidade, igualdade de oportunidade e respeito às diferenças”.

Correndo atrás
A bancada do agronegócio, inconformada pela maneira como Neri Geller, ex-secretário de Política Agrícola, foi demitido (ele não quis que sua exoneração fosse feita como “a pedido” e tampouco teve direito de defesa), quer agora derrubar o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Edgar Pretto, liderança do PT gaúcho. Acham que toda diretoria da Conab deve ser exonerada. Geller era contrário ao leilão depois anulado e “acha que não pode ser culpado pelos incidentes que envolveram a evento”.

Cigarro apagado
Os principais fabricantes de cigarro do país, BAT, Philip Morris e Japan Tobacco International e são se mobilizando para ajudar os agricultores do Rio Grande do Sul, maior produtor de tabaco do Brasil. As ações discutidas vão do apoio financeiro à doação de mudas e insumos, como defensivos agrícolas. As enchentes atingiram mais de duas mil propriedades agrícolas com cultivo do tabaco. Esse número deverá aumentar: ainda não foram contabilizadas muitas áreas atingidas pelas chuvas. A  preocupação dos fabricantes de cigarro é evitar que um contingente desses produtores se bandeie para outras culturas. O RS responde por 40% da produção do fumo

Novo dirigente
Depois da criação preventiva de Eurípedes Junior, presidente do Solidariedade, a direção executiva da legenda definiu a volta do ex-deputado federal, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, como novo dirigente, do Pros e ligado à Força Sindical, da qual também foi presidente, furto qualificado, apropriação indébita, falsidade ideológica e apropriação de recursos destinados ao financiamento eleitoral. Um campeão, pelo que se deduz.

Virou diretora
Glória Pires, atriz com 55 anos de carreira entre cinema, teatro e TV, 60 anos, que ainda não acertou sua participação das comemorações dos 60 anos da Globo por considerar o pagamento baixo demais – quem diria – virou diretora. Dirigirá um documentário sobre o Balé Folclórico da Bahia, em atividade há 36 anos e tem passagens por mais de 24 países. Vavá Botelho, fundador e diretor-executivo do balé, é coprodutor do documentário.

Agenda cheia
Galvão Bueno já está tratando da renovação de seu contrato com a Globo, na área de entretenimento, que termina em dezembro. Nos próximos meses, ele irá fazer participações na Central Olímpica, no programa diário da Globo nos Jogos Olímpicos de Paris. Fará ainda parte do elenco que transmitirá a cerimônia de abertura do evento na França. Ele já gravou o seu retorno ao Esporte Espetacular a ser exibido em julho.  No canal dele no YouTube, Galvão já tem um milhão de inscritos.

Filha de peixe
“Quem sai aos seus não se degenera” ou “Filho de peixe, peixinho é”,  são velhos ditados que servem para falar de filhos que seguem as carreiras dos pais, sejam elas quais forem. E assim mais um capítulo vai se construindo por Deva Cassel, filha da atriz e modelo Monica Bellucci e do ator Vincent Cassel. Ela que começou a carreira há 3 anos,  hoje com 19 anos, já se tornou embaixadora das marcas Cartier e Dior, que aliás, também é o rosto da nova campanha de maquiagem para olhos Diorshow. Aliás, Deva está seguindo à risca os passos da mãe. Ela também já começa a atuar como atriz, fez sua estreia  no filme  italiano independente The Beautiful Summer e em breve  aparecerá na série The Leopard, da Netflix. FOTO

OLHO MÁGICO
Fotos: Reprodução

Uma nova etapa da vida

A modelo, estilista e agora empresária  (acaba de lançar sua grife MondePars) Sasha Meneghel, 25 anos,  fala de sua nova etapa da vida em entrevista para revista Glamour Brasil, no qual é capa. Ela que cresceu sobre os holofotes se sente feliz por ser reconhecida pelo seu trabalho e não por ter pais famosos. “Vivo uma mistura de emoções e sentimentos diários. Fico até emocionada pela oportunidade de viver esse sonho com essas pessoas. Trabalhar com o que a gente ama é um privilégio enorme e tenho essa noção. Claro que tem dias que a gente se frustra, mas o sentimento que predomina é de gratidão por descobrir algo novo e criar 100% de forma livre”. Sasha conta que a marca foi criada depois de dois anos de muito estudo desde a história da moda até o mercado de fornecedores no Brasil. Ela contou que ouviu muitas histórias antes de mergulhar nesse mundo empreendedor. “Ouvia falar que essa indústria tem muita competição, um querendo derrubar o outro, mas não vejo isso. Por exemplo, tenho um relacionamento sensacional com o Airon Martin, da Misci, um irmão para mim. Ele tem sido um companheiro, me ajudando com fornecedores e preço de matéria-prima. Quando eu ainda era adolescente, a Lenny Niemeyer abriu as portas do ateliê dela e também foi muito importante, principalmente por ser uma mulher referência para a moda nacional. Vejo um cenário muito positivo de designers buscando a valorização do Brasil, é uma potência dentro da indústria”.

Edições Anteriores:  
 IN & OUT

 ;-) Livro: A geração ansiosa

:-( Livro: Deus na escuridão

ONE CARTOON


Os trabalhos dos mais criativos cartunistas selecionados na web.

 

Esta coluna é fechada de
segunda a sexta às 16:00

(exceto feriados)

Entrevista com Fernando Capez
no canal Giba Um Express

 

Entrevista com Eduardo Suplicy
no canal Giba Um Express

Entrevista com Helô Pinheiro
no canal Giba Um Express

Entrevista com Fátima Scarpa
no canal Giba Um Express

Entrevista com Michel Temer
no canal Giba Um Express

   

 

 


 © Copyrights: É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização
 do titular desta coluna eletrônica. Entre em contato com o autor pelo email gibaum@gibaum.com.br