“Qualquer servidor público deve ser investigado. Não há demérito em ser investigado. Demérito é ser condenado.”

Romero Jucá, senador (PMDB-RR), dias antes da divulgação do áudio de Sérgio Machado.


Ano XI - 25 de maio de 2016

 

Não volta
O ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá, achava que apenas uma entrevista seria suficiente – e não queria sair. O presidente em exercício Michel Temer já havia decidido que ele deveria se afastar. Jucá ainda disse que iria sair de licença. Nada disso: foi exonerado. Mais: Temer sempre soube que Jucá era vulnerável. Mais que citado na Lava Jato, ele é investigado. Mesmo assim, resolveu assumir o risco porque o senador entende de orçamento.

Mais gravações
A cúpula do PMDB e do próprio governo está em estado de alerta. Sérgio Machado teria gravado também conversas com Renan Calheiros, José Sarney e teria comprometido igualmente os senadores peemedebistas Jader Barbalho (PA) e Edison Lobão (MA). Estima-se que a mesma fonte que passou a gravação da conversa entre Sérgio Machado e Jucá, logo vazará o conteúdo das outras. O lado inusitado é que Machado foi à casa de Jucá muito cedo, um dia, para “falar sobre o Brasil” – e gravou.

Único
Na história recente do país, apenas Henrique Hargreaves, que era chefe da Casa Civil de Itamar Franco, depois de denúncias, deixou o cargo, provou sua inocência e retornou ao mesmo posto.

Coleção
Do jeito que vai, vira coleção. Outros integrantes do novo governo, nesses seus primeiros vinte dias de funcionamento, já criaram problemas. Alexandre de Moraes (Justiça) disse que a indicação de novo nome para a PRG não seria mais por lista tríplice; Ricardo Barros (Saúde) afirmou que o governo não tem mais condições de manter o SUS; Geddel Vieira Lima (Governo) profetizou uma aproximação com Lula; e até Henrique Meirelles falou da volta da CPMF antes do tempo.

Alvo errado
Chega de ser surpreendente o número de políticos do primeiro escalão nacional que são apanhados em flagrante tentando acertar o fim da Lava Jato, com críticas aos procuradores e à Polícia Federal, declarando-se também “amigos” dos ministros do Supremo. Não há como segurar a Lava Jato: se não fosse porque a Justiça Federal é independente, a opinião pública está mais do que vigilante.

Mais segurança
Preocupado com manifestações que chegaram até a porta de sua casa, em São Paulo (quando ele está lá, um batalhão de fotógrafos faz plantão), o presidente em exercício Michel Temer estuda levar a família inteira para o Jaburu, o que faria mais tarde, caso fosse efetivado no cargo – aí, seria no Alvorada. Mais: suas filhas Luciana, Maristela e Clarissa ganharam proteção especial de agentes da Polícia Federal.

Projeto Down

Outra versão
Agora, a versão porque Romero Jucá teve de ser exonerado é que, na condição de ministro licenciado, não poderia reassumir sua cadeira no Senado.

Rápido
Nove entre dez analistas políticos consideram a atitude de Michel Temer em afastar Romero Jucá em menos de 12 horas das mais corretas. E lembram que Dilma Rousseff nunca afastou um ministro investigado pela Lava Jato, além de ter tentado a manobra de Lula na Casa Civil para lhe brindar com foro privilegiado. No bloco dos investigados estão Edinho Silva, Jaques Wagner, Aloizio Mercadante, José Eduardo Cardozo, Ricardo Berzoini e Carlos Gabas, o homem da motocicleta.

Produtos de limpeza
A nova Presidência da República quer deixar o ambiente mais limpo. Acaba de reservar R$ 4,3 mil para adquirir produtos de limpeza. Na lista estão 60 multiusos de cloro ativo, 12 espanadores de nylon, 24 pulverizadores manuais com gatilho, 12 vassouras de pelo sintético, 50 vassouras plásticas e 30 ceras impermeabilizantes. Outros R$ 7,1 mil foram empenhados para 500 rolos de papel higiênico neutro, 60 polidores de metal branco, 48 polidores de metal cromado, 660 frascos de álcool de limpeza, 400 embalagens de repelente e 200 odorizadores de ambiente aerosol.

Gastos com publicidade
A presidente afastada Dilma Rousseff gastou muito em publicidade antes de deixar o governo. As despesas com propaganda passaram de R$ 229,4 milhões nos primeiros cinco meses do ano para R$ 460 milhões, ou seja, os valores duplicaram. A Presidência da República foi a mais aquinhoada: de  R$ 76,9 milhões em 2015 passou para R$ 157,7 milhões até às vésperas do afastamento de Dilma Rousseff.

Ninguém é dono
O ex-ministro do Supremo, Carlos Ayres Brito, falou a BBC Brasil sobre o episódio da gravação de Romero Jucá, cujos comentários considera “bravatas” ou “delírio de imaginação”. E mais: “Não há porque a sociedade brasileira temer o amadurecimento das instituições brasileiras que não governam, mas impedem o desgoverno, como é o caso desse trio institucional composto pela PF, MP e Judiciário. Ninguém é dono da Lava Jato. Ganhou estatura, dimensão própria e as instâncias que compõem o sistema de Justiça, inclusive o Supremo, então dando demostração do mais absoluto prestígio ao desenvolver a operação”.

Filhos de sucesso
O senador Romero Jucá tem dois filhos, Rodrigo e Mariana, ambos empresários de sucesso. Possuem juntos 12 empresas: de lojas de calçados a mineiração. Álvaro, irmão de Jucá, tem outras 20 empresas. Resumindo: Jucá nunca estará desamparado.

Recorde próprio
No primeiro governo Lula, Jucá foi ministro da Previdência por dois meses. Saiu debaixo de denúncias. Agora, caiu apenas dez dias depois de ser nomeado. Ou seja: bateu seu próprio recorde.

Três em um
A primeira ideia de Michel Temer seria transformar o Planejamento em secretaria, como fez com a Previdência e acumular tudo na Fazenda, sob o comando de Henrique Meirelles.

Onze anos
Renan Calheiros bancou Sérgio Machado na Transpetro por 11 anos. Agora, teme que também tenha sido gravado pelo protegido para salvar sua pele. Renan sabe que Machado sabe muito mais do que se possa imaginar.

Reforço
Luiza Brunet, 53 anos, está de volta às novelas: convidada pelo diretor Luz Fernando Carvalho, viverá a prostituta Magda, amiga e confidente de longa data do Coronel Afrânio (Antônio Fagundes) em Velho Chico.

Dois anos
A Globo treinou durante dois anos a equipe de comentaristas que atuará nos Jogos Olímpicos, incluindo aulas de inglês e espanhol, sessões de fonoaudiologia e dicas de como se comportar diante das câmeras. São eles Tande, Giba, Shelda, Fabi, Hortência Marcari, Gustavo Borges, Maurren Maggi, Flávio Canto, Daiane dos Santos e Guga Kuerten.

Número
Taiguara Rodrigues dos Santos, sobrinho e suposto laranja de Lula, como apostam os investigadores, comprou um duplex na cidade de Santos, em São Paulo. Número do imóvel: 171. O condomínio chama-se Pentágono e ele tem um Land Rover Discovery (R$ 200 mil).

Acordando
Na entrevista que deu, Romero Jucá disse que foi acordado por uma manchete de jornal. Nos blogs de humor, fala-se que ele deveria respirar aliviado. Muitos de seus amigos têm sido acordados por agentes da Polícia Federal.

Nome
A 30ª operação da Polícia Federal chama-se Vício. É uma alusão aqueles que não conseguem deixar de roubar, como se fossem dependentes. Nos blogs de humor, considera-se que até se poderia criar uma entidade chamada Ladrões Anônimos, só que no caso do pessoal do mensalão e do petrolão, não daria certo. A maioria dos integrantes dos esquemas criminosos são até muito conhecidos.

Versão petista
Os ex-minstros Jaques Wagner e Ricardo Berzoini, além de outros tantos petistas, dizem que o verdadeiro motivo do impeachment era para acabar com a Lava Jato. Wagner foi além: “Era justamente para que os malfeitos continuassem ocorrendo normalmente”. E Berzoini também: “O episódio é um produto do governo golpista de Eduardo Cunha, Michel Temer e Romero Jucá”. Eles não falaram com jornalistas: despejaram o que pensavam nas redes sociais.

Agenda
A primeira reunião da comissão do impeachment de Dilma Rousseff no Senado após o afastamento da petista foi remarcada para hoje, às 11 horas.

Proximidade
A Polícia Federal descobriu que, em quatro anos, Luciano Coutinho teve oito eventos públicos registrados em sua agenda e em sete deles a presença ativa de diretores do Instituto Lula. No mesmo período, Coutinho esteve cinco vezes no instituto para discutir a “conjuntura econômica”.

Funil
A nomeação de cargos de segundo escalão dos ministérios e estatais passa por três mãos: as de Michel Temer, mais as de Geddel Vieira Lima (Governo) e Eliseu Padilha (Casa Civil). Ministros só têm autonomia para nomear cargos de estrutura das Pastas.

É a crise
Efeitos da crise no mercado de TV por assinatura: o setor fechou março com 18,95 milhões de contratos contra 19,76 milhões no mesmo período do ano passado. São dados da Anatel.

Festa de diárias
O governo gastou, no ano passado, R$ 700 milhões em diárias, sem contar passagens aéreas. Neste ano, até o afastamento da presidente Dilma já foram mais de R$ 100 milhões.


Caras e bocas
A atriz Andréia Horta, 32 anos, mineira de Juiz de Fora, a Joaquina de Liberdade, Liberdade, faz caras e bocas na capa e no recheio da nova edição da Top Magazine. Ela protagonizou, em 2008, a série Alice, na HBO e alavancou sua carreira na Record, transferindo-se depois para a Globo em Cordel Encantado. Em Liberdade, Liberdade é a revolucionária filha de Tiradentes. Mais: não se acha bonita e até “dona de um rosto de uma brasileira bastante comum”. Seus admiradores protestam.

Edições Anteriores:  

  ;-) Eles: bolsa a tiracolo.

:-( Eles: maletas tipo 007.



Os trabalhos dos mais criativos cartunistas selecionados na web.





 



© Copyrights: É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização
do titular desta coluna eletrônica. Entre em contato com o autor pelo email gibaum@gibaum.com.br