F x

“Chegou a hora da onça beber água. Eu vou botar os pingos nos is.”

Dilma Rousseff, na reta final, apostando em sua reeleição.




Ano XI - 2 de Outubro de 2014

 

Força na chegada
Independente do que possa acontecer no debate da Globo, hoje, os petistas acham que, até domingo, Dilma Rousseff alcança uma vantagem de 10 milhões de votos sobre o segundo colocado, liquidando a fatura no primeiro turno. Se houver segundo turno, os mesmos petistas prefeririam uma disputa entre Dilma e Marina – e não Dilma e Aécio que, malgrado as projeções das pesquisas, ainda poderia surpreender. No tracking, Dilma e Aécio continuam subindo, embora em proporções diferentes. Nessas últimas horas, o comando da campanha de Marina quer que ela se abstenha de quaisquer declarações políticas não planejadas. E em todo o país, os tucanos ganham nova força e o candidato Aécio Neves aposta nos prefeitos, que poderiam fazer mais um corpo a corpo.

Um a um
O acordo de delação premiada de Paulo Roberto Costa prevê a concessão de benefícios penais também para os familiares do ex-diretor da Petrobras, só que com a celebração de contratos individuais. Ou seja: as duas filhas e os dois gêneros, acusados de movimentar parte dos recursos de Costa, também deverão fazer delações complementares. Mais: o ex-poderoso da estatal entregou mais de 60 pessoas e apresentou provas e indícios contra 37, dos quais 11 são senadores. O MP acredita que os depoimentos de Alberto Youssef fornecerão mais provas de outros tantos.

Hora errada
O pessoal que cuida da campanha de Dilma Rousseff não gostou de ver Paulo Roberto Costa sair da penitenciária e ir cumprir prisão domiciliar às vésperas do pleito. Enquanto a candidata-presidente reforça o discurso a favor de novas medidas para punir corruptos, a ida de Costa para sua mansão em Angra dos Reis passará uma impressão de impunidade. E também a saída de Delúbio Costa, mensaleiro do primeiro time, para cumprir prisão domiciliar, ajuda a reforçar essa idéia.

Não é pouco
Numa eleição apertada, votos de Eduardo Jorge (PV), Luciana Genro (PSol) e Pastor Everaldo (PSC), cada um com 1% nas pesquisas, somados, podem fazer diferença. O próprio João Santana, que até anda sendo chamado de bruxo, uma lembrança a antigos políticos, não despreza a soma dos votos dos três.

Volume morto
Num encontro com atletas no Rio de Janeiro, rouca e com dor de garganta, Dilma Rousseff encurtou seu discurso e aproveitou para fazer uma comparação com o problema do abastecimento de água em São Paulo: “Minha voz começou a falhar e não voltará. Preciso é parar de falar. Eu gastei tudo o que tinha, não é água, é excesso. É como a Cantareira, em São Paulo: eu estou usando o volume morto”.

Muitos beijos
Na série Felizes para Sempre, de Euclydes Marinho, com direção de Fernando Meirelles (estreia em janeiro na Globo), Paolla Oliveira, que será uma prostituta lésbica de luxo e Maria Fernanda Candido, que viverá uma simpatizante da categoria, trocarão não apenas um, mas muitos beijos no ar.

Projeto Down

Jogando a toalha
O candidato do PMDB ao governo paulista, Paulo Skaf, que tem como marqueteiro de campanha Duda Mendonça, está jogando a toalha, depois que viu que grande parte dos prefeitos de seu partido está apoiando a reeleição do governador Geraldo Alckmin. E, à essa altura do campeonato, acha que não dá para fazer mais nada. Aos chegados, contudo, Skaf já fala em eleições para a prefeitura de São Paulo em 2016.

Fora do ar
Patricia Poeta, que deixa o Jornal Nacional em novembro, teria recusado voltar ao Fantástico que apresentava anteriormente ao lado de Zeca Camargo. Não há nada definido ainda sobre um programa de entretenimento que ela comandaria. A primeira hipótese é que seria aos sábados de manhã. Ela deverá ficar um ano fora do ar, enquanto nos bastidores, corre a versão de uma disputa que estaria acontecendo entre seu marido, Amaury Soares, diretor de programação a Ali Kamel, diretor de jornalismo.

Compensação
A série Politicamente Incorreto, com Danilo Gentili, não é nada: texto com jeito amador, humor tosco e por aí vai. Vale a pena, contudo, espiar a atriz Paula Possani, que faz uma assessora de marketing. Ela já participou de Sessão de Terapia e é dona de vários talentos.

Recusado
O DEM já andava encaminhando negociações com Marina Silva para o segundo turno. Antes mesmo das últimas reviravoltas nas pesquisas, a candidata socialista não queria nem saber dos Democratas a seu lado. Ela não suporta Ronaldo Caiado, líder do partido no Senado, a quem chama de “inimigo histórico dos trabalhadores rurais e ambientalistas”.

Bastidores do futebol
Ex-diretor de comunicação da CBF, onde permaneceu 13 anos, ex-executivo de futebol do Flamengo e ex-assessor de Ronaldo Fenômeno e Romário, Rodrigo Paiva está sendo disputado por três editoras, que tentam convencê-lo a escrever um livro sobre bastidores do futebol, incluindo especialmente os subterrâneos da entidade. Rodrigo está pensando muito: “Histórias não faltam”. Só que é uma área onde ele sempre militou e dependendo do teor do livro, estaria fechando todas as portas do setor para futuros trabalhos.

Na onda das bikes
Entusiastas das bikes começam a enfrentar problemas com o aumento dos espaços em várias regiões de São Paulo: uma delas – e mesmo durante o dia – é a ameaça constante do assalto. Carros consideram bicicletas quase inimigas e quem andou pensando em ir trabalhar pedalando, enfrentou outros problemas: chegar suado no emprego não é civilizado, o capacete liquida com qualquer penteado (para mulher, é pior) e não é sempre que se conseguem locais ideais para estacionar.

Prêmio de consolação
O empresário Josué Gomes da Silva (Coteminas), candidato a senador pelo PMDB de Minas Gerais (na campanha, usa o nome Josué Alencar, para associar com seu pai, o ex-vice presidente José Alencar), já sabe que será impossível vencer Antonio Anastasia, super-favorito. Contudo, Lula, inventor de sua candidatura, já avisou o empresário que, Dilma reeleita, ele poderá ganhar um ministério no segundo mandato dela.

Jogada espanhola
O governo espanhol está oferecendo incentivo para que uma empresa do país seja a vencedora da licitação do túnel submerso entre as cidades de Santos e Guarujá, em São Paulo. Eles querem disponibilizar um financiamento de cerca de R$ 150 milhões para a obra, orçada em R$ 3 bilhões. Em troca, querem que uma companhia da Espanha seja escolhida para tocar a obra. Na área de obras publicas, esse tipo de manobra tem outro nome.

Olho no futuro
O governador da Bahia, Jaques Wagner, caso Dilma vença, tem lugar à sua espera no novo ministério. Ele até gostaria da Casa Civil, mas Aloísio Mercadante tem tido um desempenho de total agrado da presidente.

Amazônia à chinesa
Aloizio Mercadante, ministro-chefe da Casa Civil, tem em mãos um detalhado estudo sobre proprietários de terras na Amazônia, capaz de assustar qualquer nacionalista. Nos últimos dez anos, os investimentos estrangeiros na compra de grandes áreas em toda a região ultrapassaram US$ 40 bilhões. E pelo menos um terço dessa dinheirama saiu de cofres chineses.

Em campo
Marcio Thomaz Bastos, 79 anos, ex-ministro da Justiça do governo Lula, continua o grande favorito das empreiteiras quando em situação de desconforto. Já tirou a Camargo Corrêa de sério imbroglio, conseguindo derrubar operação da Polícia Federal feita através de ações e grampos ilegais. Agora, acaba de ser contratado pela Odebrecht, que tem posto de honra, de acordo com matérias vazadas, na deleção de Paulo Roberto Costa. Na justiça, tenta ter acesso a trechos dos depoimentos que fazem supostas revelações pouco recomendáveis sobre a maior empreiteira brasileira.

Onde está Wally?
Desde as primeiras matérias publicadas, envolvendo seu nome nos depoimentos de Paulo Roberto Costa e até agora, quando a Polícia Federal resolve vasculhar o avião de seu filho candidato ao governo do Maranhão, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que tirou férias repentinamente, sumiu da cena política nacional. De onde estava, contudo, manteve contato diário com José Sarney e a governadora Roseana Sarney.

Aroma alemão
Malgrado desmentidos da controladora Sol Panamby, há quem aposte que as conversas do grupo Octávio Café, criado por Orestes Quércia, com a Tchibo, uma das maiores redes de cafeterias da Alemanha, continuam em andamento para a compra de uma participação na empresa.

Contra e a favor
Que ninguém imagine que, nas redes sociais, só proliferem ataques ao candidato a Presidência Levy Fidelix, do PRTB, que, no debate da Record, investiu furiosamente contra gays e até pode ganhar processos por causa disso. Na internet, outros radicais também acham que, quando fez suas afirmações, Levy estava usufruindo da “livre manifestação do pensamento”, assegurada pela Constituição. Fora os que despejaram mais ataques aos homossexuais. Mais: Levy ficou uma arara com uma caricatura dele, feita por Chico Caruso, onde aparece de calcinha, sutiã e meia-arrastão saindo de um armário.

Aposta
Nas últimas horas, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que, praticamente, foi quem lançou a candidatura de Aécio neves, estava aceitando apostas de que o candidato mineiro, mesmo apertado, vai para o segundo turno.


Marina Ruy BarbosaLéa, bem perfumada
A atriz francesa Léa Sydoux, 29 anos, estrela de Bastardos Inglórios, Robin Hood, Meia-Noite em Paris e que ganhou a Palma de Ouro em Cannes pelo filme Azul é a Cor Mais Quente, é a protagonista da campanha de lançamento do novo perfume da Prada Candy Florale. E aparece toda nua, fotografada pelo famoso Steven Meisel. A campanha é mundial e está chegando ao Brasil. No ano passado, ela estava entre as 10 Mulheres Mais Bem Vestidas, da Vanity Fair. Ex-modelo profissional, Léa mantém as medidas 85-60-90.

Edições Anteriores:  

  ;-) Ternos xadrez suave.

:-( Ternos de listras.



Os trabalhos dos mais criativos cartunistas selecionados na web.





 

Ruy Altenfelder Silva entrevista no programa Dialogo Nacional o colunista Giba Um.


© Copyrights: É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização
do titular desta coluna eletrônica. Entre em contato com o autor pelo email gibaum@gibaum.com.br